Sobre céu, nuvens e sentimentos

by - 01:32:00

Hoje foi um daqueles dias que o mundo parece conspirar ao nosso favor.
Hoje foi um daqueles dias que tudo o que a gente precisa para se acalmar é sentar no chão, observar o céu e respirar fundo.
Tenho aprendido a controlar muitas coisas, somente observando o céu ou fechando os olhos.

É como uma terapia observar as nuvens e a maneira que elas se transformam.
Se nem as nuvens ficam sempre do mesmo jeito, porque nossa vida iria ficar, não é mesmo?
Até gosto da mudança, mas às vezes me assusto com a forma em que algumas coisas mudam na minha vida. Parece um roda gigante com um loop infinito. Nunca sei onde vou parar.

Tive a oportunidade de ficar algumas horas sozinha em casa. Eu poderia ter feito o que fiz nos outros dias, como ter ido caminhar, mas eu definitivamente não estava disposta. Era como se meu corpo estivesse aqui, mas minha mente não.

Sentei no chão do jardim e observei o céu, calada, aproveitando o silêncio e o vento no rosto. Deveria estar fazendo uns 30°C, mas eu realmente não me importava. O sol no meu corpo fez com que eu me sentisse mais leve. Peguei um livro para ler. "O Senhor dos Anéis". Eu precisava começar e terminar aquele livro de verdade, mas de repente percebi que eu teria que ler duas vezes a mesma página para entender o que estava escrito.
Cansativo demais.

Quem sabe, aquele seria um bom momento para refletir sobre os últimos meses e agradecer um pouco a Deus pelas coisas que me aconteceram. Sim, aquele era o momento.
Fixei meus olhos nas nuvens e só conseguia ver formas. Forma de pássaro, de coração, de algodão.
Mas meus pensamentos continuavam vagos.

Me perdi nas horas, e quando dei por mim, era de noite! Algo me perturbava enquanto tomava banho e me senti obrigada a fazer algo à respeito. Tomei a iniciativa de montar a Árvore de Natal de casa, sozinha! Afinal, minha mãe não queria montar.
Ora essa! Há vinte e um anos, Árvore de Natal é tradição na minha vida! Não é porque não iremos passar o Natal em casa que não montaremos a Árvore! Bati os pés e montei sozinha. Tive a delicadeza de enfeitar com as bolas redondas mais bonitas da ocasião e enfeitá-la com pisca-piscas brancos. São lindos! Após pronta, sorri com orgulho e me senti completa.
Não tão completa, pois minha gata encontra-se realmente doente. Então, cada vez que olho para ela, sinto um pedaço de mim quebrando. É de me cortar o coração.

Mas o fato de montar uma Árvore de Natal fez com que eu me sentisse melhor. Talvez seja só um estado de espírito, ou um ritual, ou sei lá o que pode ser, mas Árvores de Natal são realmente aconchegantes.
Agora sim, o Natal pode se aproximar!

Registrei o dia em imagens e na minha agenda. Não quero esquecer o dia de hoje.