Dois mil e nostalgia

by - 20:58:00


Parece tradição de começo do ano, e realmente é.
Tenho o costume de sempre, sempre, rigorosamente sempre, arrumar meu quarto e meus pertences todo começo do ano. Começo de ano e fim de semestre.
Eu não tenho paciência para arrumar meu guarda roupa, minha mesa, minhas caixas e coisas do tipo, mas tenho me esforçado para conseguir isso.
E é impossível não encontrar objetos nostálgicos repletos de histórias e amor!
E nessas arrumações de quarto-guarda-roupas-caixas e entulhos, como minha mãe adora dizer, eis que encontrei milhares de objetos que me fizeram sentir uma nostalgia enorme e uma saudade da época vivida.

Mas a nostalgia mesmo aconteceu na primeira compra do ano.

Fonte da Imagem


Chikenitos! Eu sou completamente apaixonada por nuggets, e principalmente pela embalagem e formatos dos produtos. 

Quem se lembra dos nuggets de dinossauros que vendiam antigamente? 

Eu não encontrei nunca mais nuggets desse formato por aqui, mas meu amor continua vivo por eles. Saudades...
Saudades tenho também dos nuggets de estrelas...

Nuggets sabor infância!


Sabor infância também tem esse queijo petit suisse com polpa de fruta que eu amorosamente chamo de Danoninho, mesmo não sendo da Danone. 
Aliás, é tão bom quanto, e, quem liga para a marca?


Outra nostalgia do ano foram esses preciosos achados.

 
 

E o meu preferido...
 

Quando minha mãe decidiu que era a hora de se desfazer do vídeo cassete e dar espaço de vez ao DVD, há alguns anos atrás, resolvi guardar essas fitas, como uma forma de nunca esquecer de uma época maravilhosa da minha vida: a infância.
Meus anos de ouro foram baseados em histórias maravilhosas que assistia quando pequena. Eu simplesmente adorava Vida de Inseto e me encarreguei de aprender a imitar a voz da Chucrute, a Lagarta. Toy Story é o tipo de filme que dispensa descrição por simplesmente ser o filme da infância de qualquer criança desse mundo (ao menos das crianças de 1990), assim como 101 Dálmatas.
Cãezinhos Carinhosos contra o Gênio do Mal é um filme que poucos amigos meus conhecem, e eu não faço a mínima ideia do por que mais gente não conhece ele. É um filme super legal, que nos dias de hoje seria capaz de arrancar um mar de lágrimas de mim. Eu simplesmente adorava assistir esse filme enquanto me esbaldava na cama da mamãe com um copão de Toddy.
E... Aristogatas. Meu Deus! O que dizer desse filme que simplesmente é o meu filme preferido de toda a face da Terra? Eu sou completamente apaixonada por gatos, e esse filme só fez meu amor pelos felinos aumentar ainda mais! E por que? Porque a história é linda e os gatos são lindos. 
O destino daquele velho idiota que deu um jeito de dar fim nos gatinhos deveria acontecer para todos, e talvez até pior. Não se faz mal para um bichinho!

Abro caixa e fecho caixa, e eis que...


BLASTO! Um jogo sensacional, com fases dificílimas e interessantes. 
No começo parece ser um jogo bem tosco, e eu nem gostava, mas com o tempo fui aprendendo a jogar e comecei a criar um carinho por ele, até travar em uma tela e nunca mais conseguir sair dela.
Esse jogo era pra PS1, mas eu rodava ele no PS2 sem problemas. Mas quando comprei o Xbox 360, minha paixão e maior conquista barata ever, ele ficou completamente sem uso, pois meu PS2 acabou estragando por falta de uso. Uma pena. Saudades.

 Hellow. Okay. Sei lá quais eram as frases que o Kermit falava em Muppet Monster Adventure, mas até hoje sinto saudades daquela voz que só ele sabia fazer! 
Era um jogo bem colorido e infantil, mas tinha algumas fases que eu morria de medo, assim como no jogo Spyro (que, aliás estou doida para encontrar versão Xbox 360). Eu adorava passar horas e mais horas jogando esse jogo. Era vi-ci-an-te!

E o meu orgulho...


Magical Racing Tour foi um achado de presente que meu pai me deu em 2000. Se ele não é original, é uma cópia muito bem feita. Ele era guardado em uma caixinha amarela lindinha, repleta da carinha do Mickey, mas aí, como toda criança, tive a incrível audácia de conseguir quebrar. Como? Até hoje eu não sei.
Esse foi um jogo que me viciou desde o primeiro dia em que eu joguei ele. E talvez esse seja o segredo da Disney: magia em seus produtos, fazendo com que eles sejam amados e cada vez mais amados!
Foi o primeiro e único jogo da minha vida que consegui "dar final". Finalizei todas as corridas, todas as etapas e consegui quase todos os prêmios, faltam apenas, duas fases, a fase do Castelo, e a fase do Resort. 
Eu jogava esse jogo de dia, de tarde, de noite e às vezes me lembro que acordava de madrugada pra dar uma jogadinha. Viciante tanto quanto os outros, ou mais, né.
Mas, infelizmente, assim como o Blasto e o Muppet Monster, Magical Racing também ficou completamente sem uso quando comprei  o Xbox. 
Uma pena que alguns jogos não possam mais ser jogados...


E quando eu achava que já tinha voltado no passado o suficiente para voltar para a realidade, eis que resolvo fuçar no meu guarda-roupas e encontro uma agenda de 2008, e um caderno, que foi o pioneiro na formação do blog!

 

Nessa agendinha, eu tinha todo o amor, a paciência e o prazer de recortar e colar sobre o que eu gostava na época.



Visto que ainda continuo apaixonada por McFLY e Ed Westwick (saudades eternas Gossip Girl).


E nostalgia também para a minha agenda de 2014, onde fiz questão de anotar meu dia a dia, para aprender a valorizar minha vida todos os dias. E lembrar de como esse ano foi incrível!





E você? O que tem de nostálgico dentro do seu guarda roupa? 
Conta pra mim!