Fragmento Anual

by - 18:55:00

Se eu tivesse que resumir 2015 em poucas palavras, elas com certeza seriam: imprevisível, inimaginável, sofrido, e inesquecível.

Desde o ano passado eu tenho uma agenda, onde eu anoto tudo o que acontece no meu dia. É tipo um diário, só que como diário é meio adolescente, eu a chamo de agenda mesmo. Mas também é conhecida como Caderninho de Memórias. Escrevo tudo sobre o meu dia ali. Meu acordar, o decorrer do dia, quem eu vi, com quem eu falei, o que aconteceu... E vira-e-mexe eu dou uma olhada no passado para relembrar o que aconteceu, e para aprender algumas coisas também, inclusive para agradecer por tudo.

Resolvi compartilhar algumas datas aqui. Sei lá. Porque sim. 





1: 15 de Fevereiro - Balneário Camboriú
Sabe, eu não sei vocês, mas eu tenho uma cidade que, não é onde eu moro, mas é como se fosse minha segunda casa. Balneário Camboriú é, por um motivo inexplicável e desconhecido, o lugar onde sinto que minha âncora se fincou. O ar, o mar, a cor, o amor. BC foi onde vi, aos dois anos, pela primeira vez o mar, a areia e as conchas. Foi lá onde tive o meu primeiro contato com o oceano. Foi lá, depois de alguns anos, onde comecei a entender que o mundo não se resumia somente em minha casa, casa dos meus avós, supermercados, padarias e praças da minha cidade, como a gente acredita que é o mundo quando se tem cinco anos. Cada vez que piso naquela cidade, é como se uma parte de mim estivesse se regenerando; e quando vou embora, sinto como se estivesse deixando um pedaço de mim lá.  


2: 09 de Julho - Estrada Cunha-Paraty
Sair sem saber quanto tempo vai durar uma viagem. Sair sem saber quantos quilômetros ainda restam para chegar onde se planejou. Um belo dia, feriado, eu e minha irmã resolvemos ir ao Parque Estadual, que fica em Cunha, mas a realidade é que a gente não sabia que ficava tão longe assim, e por fim tivemos que voltar, depois de umas quatro horas de viagem. E foi bem chato, porque a gente nem tava no meio do caminho. Saudades mapa versão papel. Saudades.

3: 31 de Julho - Primeiro dia
Eu fiquei quase um ano sem caminhada. Colocava faculdade, emprego e problemas diversos na frente da minha felicidade e da minha saúde. Gente, eu tava uma bolinha! Neste dia, tive uma puta insônia desgraçada e não parava de pensar em um cara. Sabe, amores impossíveis só são legais nos filmes, porque a gente sabe que vai ter final feliz. Na vida real nem sempre o final é legal. Então a gente não pode parar tudo para ficar sofrendo por esse amor, não é mesmo? Eu estava sofrendo pra caramba. Aí neste dia resolvi levantar da cama às 06h e saí para caminhar. Dar o primeiro passo é sempre difícil. Achei que ia morrer. Mas sobrevivi, para contar sobre a foto número 4. :)

4: 31 de Outubro - Mudanças
Não vou fazer contas, mas tipo, quase três meses depois, e, meu Deus. Quanta coisa mudou. A começar pela minha cara que não está mais lua cheia™; e pela minha coxa; e pela minha barriga; e pelo meu sorriso maravilhoso sim! Muitas coisas mudaram, inclusive no amor. Aquele amor impossível começou a dar sinal de que pode ser possível sim. Talvez não um romance, mas talvez um lance. 
Desde o dia 31/07, tenho acordado cedo todos os dias - exceto aos domingos, porque Deus mesmo mandou a gente descansar no sétimo - e saído para caminhar. Sentir o ar puro, ouvir o canto dos pássaros, refletir sobre a vida; entre outros muitos motivos, são o que me motivam a continuar a acordar cedo e caminhar. Tem sido tão prazeroso, que eu fico me perguntando: Por quê não fiz isto antes? - Não morri mais de cansaço ou desespero. Pelo contrário! Consegui ir além das minhas expectativas e das minhas pernas. Eu não sei quantos quilos perdi, nem quantos centímetros ao certo, mas sei quantos sorrisos ganhei, elogios e satisfação com meu corpo, minha mente e meu coração. Obviamente, estou longe de onde quero chegar, mas sei que já completei uma parte boa do percurso!

5: 31 de Outubro - Primeira vez
Outubro foi um mês bem louco, e eu compartilhei isto aqui.
Esta é a vista do viaduto que tem pertinho de casa, onde de lá é possível ver a Serra do Mar e a Serra da Mantiqueira. Como não amar?

6: 04 de Novembro - Vinte e Dois
Este não foi o meu aniversário dos sonhos, mas foi o meu melhor aniversário possível.
Compartilhei meu dia aqui

7: 14 de Novembro - Formula do Amor
Eu não sei explicar com as devidas palavras qual foi a minha reação no momento em que pisei em Interlagos e ouvi pela primeira vez na minha vida o barulho de um carro de corrida. Apenas consigo dizer que foi uma das sensações mais incríveis do mundo, e que não tem dinheiro que pague a felicidade em realizar um sonho. ♥ ♥ 
Compartilhei detalhes desses dias memoráveis aqui

8: 06 de Dezembro - Luzes
Sou apaixonada por Natal e não nego. Meu sonho é ter uma Árvore de Natal gigante, igual aquela dos filmes norte-americanos que a gente vê e inveja. Quero uma Árvore gigantesca em casa, a qual eu tenha que subir em uma escadinha para colocar uma estrela no topo. Mas, enquanto não tenho, me contento com minha infinita coleção de pinhas, com meu mini pinheirinho, e com um pisca-pisca no meu quarto. 

9: 18 de Dezembro - Ciclo
Em 2012 iniciei minha vida universitária. Em a trancos e barrancos, dúvidas, incertezas e arrependimentos, venci quatro anos e me formei em Biologia.
Não tinha certeza que aquela seria a profissão certa a seguir, e levei comigo esta dúvida desde o 1° dia de aula em 2012, até o último de 2015. Pensei em desistir uma, duas, três, ou mais vezes. Mas sabe, meu problema é que quando eu começo uma coisa, eu teimo em ir até o fim, mesmo se estiver errada.
18 de Dezembro de 2015. Foi o dia mais feliz da minha vida. Eu consegui terminar aquilo que comecei. Eu consegui encontrar felicidade em meio à tanta dificuldade. 
Sou uma Bióloga. Uma Bióloga apaixonada por aquilo que faz, e por aquilo que irá fazer. Sou apaixonada pela simplicidade da vida e a complexidade da natureza. Sou apaixonada por cada detalhe desse Universo. 

Além de Corinthians campeão no mesmo dia em que eu entrego meu TCC. É muito amor. É muito amor.

Esses foram alguns dos momentos inesquecíveis de 2015, além de outros, que não cabem nesta lista, ou que não possuem foto para registrá-los, mas que nem por isso são menos importantes ou que não serão lembrados com carinho, e saudade. 

Um aprendizado de 2015? → A vida sempre nos surpreende.