Dois mil e dezesseis metas

by - 23:42:00

Comecei 2016 quebrando algumas regras pessoais, as quais dizia a mim mesma que jamais faria tal coisa. 
Mas uma pessoa me fez quebrar todas as regras logo na primeira semana, e isso, de certa forma, foi bom, pois larguei mão de bobeirices e comecei a pensar que a gente tem mais é que quebrar mesmo as regras e fazer o que quiser. A vida é muito curta para pensar se isso pode ou não pode. YOLO.

Mas tracei algumas metas para 2016 e espero que todas elas possam ser cumpridas e jamais esquecidas!

Primeira meta: Desencanar
A vida é curta demais para ter vergonha do próprio corpo.
É um peito maior que o outro; é aquela barriga que incomoda; é aquele cabelo que não para arrumado; é aquela sobrancelha torta; ou aquele riso que vira uma gargalhada esquisita.
Pra quê tanto drama com a gente mesmo?
Afinal, a vida é curta demais pra gente ter medo de usar biquíni, né?

Segunda meta: Esquecer
Muitas coisas acontecem na nossa vida, sejam elas boas ou ruins. Mas depende - única e exclusivamente - da gente fazer com que elas tornem-se inesquecíveis. 
Guardei muito rancor, muito amor e muitos sentimentos em 2015, mas espero neste ano ser uma pessoa seletiva quanto às lembranças.

Terceira meta: Amar
Percebi que amei muito em 2015. Mas não a mim. 
Amei pessoas, amei coisas, amei lugares, amei céus e estrelas. Amei demais que esqueci de me amar.
Amor próprio. Em primeiro lugar desta vez!

Quarta meta: Relevar
Brigas, discussões e palavras atravessadas. Discussões e amigos se distanciando, e, pra quê tudo isto mesmo? Orgulho, pirraça e preguiça.
Por um ano onde eu aprenda a relevar os momentos ruins.

Quinta meta: (não se) Privar
Me privei de alguns sorrisos, de gargalhadas escandalosas e choros, por inúmeros e incontáveis motivos. E sabe o que eu aprendi com isso? Aprendi que fui idiota.
Deveria ter sorrido mais, e ter parecido a louca que não sabe falar sem ser escandalosa. 
Isso faz bem.

Sexta meta: Simplicidade
Espero que 2016 eu possa deixar, cada vez mais, viver com simplicidade, e cultivando os dias, por mais simples que eles possam parecer. 
Percebi que as melhores coisas da vida não são coisas. E são de graça.


E depois de atingidas, todas essas metas serão dobradas! :)
E algumas acrescentadas!

Espero que 2016 seja mais doce!