6 on 6 - Inverno e coração aquecido

by - 23:01:00


Não sei a relação que a maioria das pessoas têm com o frio, mas a minha é esquisita.
Trocaria dias de Inverno, por dias de Verão, com Sol, vento quente, sorvete, e água gelada.
Verão é tudo de bom – ainda prefiro a Primavera! –, mas confesso que às vezes sinto falta de dias frios, de ventos gelados, lenços no pescoço, e dias de Sol, onde possa ficar exposta à ele sem me queimar toda
Onde moro, nem faz tão frio assim, mas faz. A parte boa de morar no Vale, é que nem sempre o frio é tão frio assim – mas o calor é! Pode acreditar!
Como não gosto muito dessa estação em particular, tendo, do meu jeito, improvisado e despretensioso, criar um ambiente agradável, para ver se os dias frios passam mais rápidos, ou se ao menos ficam mais leves.



Quando é Inverno, aproveito a falta de coragem que sinto para sair de casa e começo a colocar em prática todos os meus projetos, ou tento ler os livros que deixei para trás. Nesse Inverno, o desafio foi completar –para não dizer começar – meu livro Jardim Secreto.
Procrastinação diária na tentativa se não se estressar com um livro anti-estresse.


Uso minhas tardes de Domingo, ou manhãs – quando não tem Formula 1, ou quando não caminho, ou quando não durmo até tarde –, para atualizar minhas cartinhas. Adoro fazer isso no Inverno, pois escrever aquece as mãos e o coração – tanto de quem as escreve, quanto de quem as recebe! –, e as flores secas dão um toque especial para as cartinhas.


Adoro caminhar nos dias frios, mas não gosto quando chove. Mas acontece, né? 
Um dos meus lugares preferidos é o centro da cidade. Acredite se quiser, mas confesso que adoro aquele clima que fica na cidade com a chuva, o frio, o vento e todos os guarda-chuvas das mais variadas cores pela calçada. Mas gosto quando estou agasalhada, e não desprevenida.


Outro lugar que gosto de ir quando é Inverno é no Cemitério.
Vocês conhecem outras pessoas que gostam de Cemitérios? Eu adoro! 
Lá é um lugar em que encontro paz, sossego, e um tempo para pensar na vida. Olho para os túmulos, e enquanto caminho entre eles fico a pensar nas pessoas que ali estão, ou um dia já estiveram, enterradas. Cada um com sua história, suas vitórias, suas conquistas, decepções, amores e dores. Cada um, no meio de uma multidão, único e especial. Sabe se lá como foi a vida de cada um deles, se viveram ou se apenas sobreviveram nessa jornada.
Fico a pensar nisso também. Se estou sonhando e me esquecendo de viver, e acabo por perceber que está tudo tão no modo automático, que às vezes não sei se vivo ou sobrevivo também.


Uma paixão: Chocolate quente!
Adoro quando vou em um lugar e existe a opção de chocolate quente para quem não toma café! Ou quando fico em casa à noite e vejo um filme, ou enquanto leio um livro. Ou quem sabe, às vezes, quando dá tempo, de manhã, antes de ir trabalhar, para deixar os dedos mais aquecidos e o coração mais leve.


Minha paixão oficial do Inverno: colher pinhas!
Aproveito o frio, e crio coragem para sair por aí caçando pinhas, seja no Cemitério da cidade, ou no Parque Ecológico, nas estradas que vão para Minas Gerais, ou para as Serras, do Mar e da Mantiqueira.
Adquiri essa paixão ao longo da faculdade, quando fiz um trabalho de Botânica sobre Pinus. Além, de claro, ela sempre ter existido por conta do meu carinho imenso pelo Natal. Sempre quis ter uma árvore de Natal de verdade, real, oficial, em casa, mas, né. Quando tive, queimei, por idiotice ao ligar um pisca-pisca, queimando-a toda.
Grande burrada.


Tem mais uma infinidade de coisas que adoro fazer no inverno, como escrever cartas, poemas, fazer caminhada à tarde, colocar o colchão da cama no chão da sala e ficar a madrugada inteiro vendo filme!
E você? 
Como faz pra espantar esse friozinho que aparece por aí?