Sol Girassol

by - 20:53:00


Descobri uma "mini-plantação" de Girassóis a céu aberto aqui na minha cidade, e confesso que me deixei encantar pela simplicidade do momento.
A gente anda tão no "modo automático", que se esquece de como é bom se conectar consigo mesmo e com a natureza, nem que seja por um tempinho, não é mesmo? ♥


Pausa para admirar essas formigas carregando pétalas para seu formigueiro.
Há quanto tempo eu não via algo tão simples e natural assim?

Visitantes ilustres. 

Eu adoro me conectar com a natureza, apesar de ter uma certa aversão a montanhas, cachoeiras e manguezais. Meu coração bate forte toda vez que sinto as ondas do mar bater em meus pés, ou vejo as copas das árvores embaladas em uma dança não tão sincronizada, de acordo com o vento.
Adoro tudo aquilo de bom que ela me proporciona, desde as flores que involuntariamente e indevidamente retiro dela, como as pinhas que caem pelo chão da floresta e passam a ocupar um lugar de destaque na minha instante.
Como não amar esse mundo?
Mundo caótico, medíocre, assassino, perturbador, mas incrível, doce, abençoado e maravilhoso!

Tirei umas fotos pela plantação, já que não podia tirar uma flor dessas e levar pra casa, né. 

Não tem outra palavra que defina esse momento de descoberta ao acaso, a não ser gratidão.
Gratidão por estar viva, mesmo às vezes não querendo estar, ou estar aos trancos e barrancos, mas ainda assim, sorrindo, ou fingindo sorrir para não chorar. 
A vida não é um mar de rosas, nem tudo é belo o suficiente a ponto de nos fazer esquecer dos problemas, das irritações, decepções, frustrações, e tudo mais o que existe, mas acontece que, no meio de tristeza, de ausência, solidão ou imensidão, sempre consigo encontrar uma maneira de tentar ser feliz. Ser feliz do meu jeito, no meu esquema, nos meus erros, e na minha esquisitice. 
Mas, a vida é assim, não é mesmo?
Se descobrindo e reencontrando a cada passo novo dado. 
Assim como essa plantação de Girassóis. Uns bonitos, outros nem tanto, muitos vivos, e alguns mortos. Mas isso só foi possível porque alguém foi  e plantou as sementinhas. 
Eles estão lá, sobrevivendo do seu jeito, a seu gosto, e como tudo deve ser. E as formigas colaborando para o renascimento desse ciclo, que eu espero ser infinito, mesmo que por um tempo.