Blocos de Rascunho

by - 15:09:00


Vocês também pegam um bloquinho de rascunho e começam a escrever coisas ou frases aleatórias, que de repente se conectam e formam uma boa história?


Dias atrás encontrei perdido em casa um bloco de anotações de 2009, com textos e mais textos, que se juntar tudo, dá pra escrever um livro. Exagero.

Mas pode ser que sim.

Perdi a noção do tempo diante de uma máquina de escrever. Fala sério, né. Tão retrógrado, mas  tão inspirador quanto um bloco e uma caneta.
De uns tempos pra cá, tenho deixado o computador de lado, e tenho dado mais atenção à papel e caneta, ou máquina de escrever. É muito bom.

Claro que escrever cansa o pulso, mas digitar no computador cansa também, e arde os olhos. Escrever exercita o vocabulário. E a caligrafia.
Quanto à grafia, tenho dado graças por conseguir treiná-la ao longo dos anos, mesmo com as dificuldades impostas por esse mundo de destros.
Não é fácil ser canhoto em uma sala de aula onde todas as carteiras são para destros. Nem abrir lata de leite condensando eu não consigo direito, que dirá escrever naquelas carteiras sem que a mão ou o braço sintam desconforto e dor. 

Foi difícil encontrar acessórios de pintura, de escrita, e tudo mais, feito para canhotos.
É bem difícil encontrar algo facilitado para canhotos. Acreditem.
Pode parecer mentira, mas é verdade.

Mas, voltando ao assunto de bloco de anotações e histórias, vocês também escrevem histórias de amor ou parecidos?

Como vocês preferem:
(     ) Histórias contadas em primeira pessoa
(     ) Histórias contadas em terceira pessoa
?

Comecei a ler um livro, muito bom por sinal, "A Menina que encontrou o Amor", mas, às vezes me perco na narrativa. É em terceira pessoa, e isso me incomoda às vezes.

Semana passada comecei a ler "Garota Exemplar", e a história se encaixou, pois havia visto o filme antes hahaa e depois de tempos achei o livro. Acontece! 
Entretanto, parei. Engatei em um livro de Agatha Christie, mas abandonei nas primeiras folhas. 
Sinto falta de uma leitura que me prenda, como as histórias de Meg Cabot. 
Porém, comprei três livros: "Por Lugares Incríveis"; "No meio do caminho tinha um Amor"; e "Outros jeitos de usar a boca". Até estou animada para a leitura. Iniciei sexta-feira passada PLI. As primeiras páginas me causaram uma impressão de conforto, de compreensão, e eu realmente estou animada para continuá-lo! ♥
E é em primeira pessoa, o que me deixa muito feliz, pois é possível conhecer os dois lado da "mesma história".

Sinto falta de livros que me façam chorar.
Mas chorar mesmo, sabe?
Livros que me façam ir pra cama vivendo o personagem, sentindo-me como ele, pensando como ele, sendo ele. 
Saudades, boas histórias...


Tudo isso pra dizer: Que saudades eu estava de escrever!