domingo, 31 de dezembro de 2017

Fragmentos de Dezembro


Mais uma vez o tempo pareceu escorrer pelos meus dedos, e ao mesmo tempo se arrastou em incontáveis horas de dor, silêncio e luto.
Não pensei que viveria uma dor tão forte neste último mês do ano.
Não pensei que viveria dias de surtos, de dúvidas, de vazios e de desespero.
Não pensei que viveria aquilo que sempre disse:

"É preciso ter dias ruins para aprender a dar ainda mais valor aos bons." 


02 de Dezembro. 
Uma hora e qualquer minuto da tarde. Sábado de Sol e faxina. 
Jamais imaginei que minha avó morreria em um dia assim. 
Meu avô, quando faleceu em 2013, se foi em uma quinta-feira de Maio, fria e chuvosa. A melancolia do momento ornava com o dia. 
Foi inesperado.
Mas minha avó...
Logo ela, que havia saído do hospital dias antes, havia comemorado seu aniversário conosco, faleceu na véspera do aniversário da minha tia. 
Faleceu no primeiro sábado de Dezembro, em um dia ensolarado, quente e inspirador. 
Foi tão inesperado.
Senti um vazio que há tempos não sentia. Senti uma dor incontrolável, que fugiu das minhas rédias e se estendeu pelo espírito todo. 
Ao mesmo tempo em que me senti triste, me senti acolhida. Acolhida pelo meu primo, a quem sinto falta. Acolhida pelos amigos que nem imaginei que minha avó tinha, e que viraram meus amigos também - amigos de fé, de Cristo. Acolhida pelo meu namorado, que segurou essa barra comigo, sendo meu braço forte. Acolhida pela minha irmã, que compartilhou dessa dor na mesma dimensão que eu. Acolhida pela minha outra avó, que foi a primeira pessoa para quem liguei, lá do hospital, avisando que a outra havia falecido. Acolhida pelo meu tio, que eu nunca nem imaginei que seria tão incrível como descobri que ele é. Acolhida pelo meu pai. Meu PAI! Que saudade que eu estava de receber um abraço e um beijo desse homem! Acolhida pela minha mãe. Minha MÃE! Acolhida por ela, que também foi acolhida por mim e por todos nós.
Acolhida por Deus, por Jesus, pelo Espírito Santo, que me deu paz, discernimento, e calma para conseguir manter tudo em ordem.

Minha avó foi enterrada dia 03. Domingo, de Sol, de chuvisco... Dia esquisito. 
Foi enterrada sem coroas de flores, afinal, de que servem as flores agora que já não pode mais recebê-las em mãos? Mas, ela também nunca gostou de flores. Foi enterrada com sua roupa favorita, um conjunto azul, que usava para ir na Igreja. Foi enterrada de acordo com seu último pedido: na terra. Para que, assim como veio, voltasse: do pó.

Agradeço a Deus por ter compartilhado minha vida com uma mulher tão incrível, generosa, fiel, maravilhosa, forte, como a minha avó. 
Que felicidade sinto em ter sido sua neta!
G r a t i d ã o !

Sua morte me fez pensar na vida. No que será depois do último suspiro. Pensar pra onde irei, o que serei, como será... É desesperador. Senti um nó na garganta por várias vezes. Nó na garganta, falta de ar, desespero, vontade de chorar. 
Foi um momento incrível para me reaproximar de Deus, o meu Salvador. Foi um momento de voltar a andar no caminho certo. Foi um momento de união familiar.
G r a t i d ã o !



Dia 03 de Dezembro foi aniversário da minha tia, justo no dia em que enterramos a sua mãe.
Não teve bolo, nem festa. Teve um almoço, silencioso e acolhedor. 
Mas, dia 20 foi aniversário do meu avô, e mesmo ainda com a tristeza no ar, comemoramos nossa família, nossa união e a sua vida.
Mais um ano pra conta! Vô Rangel completou 76! Que alegria! ❤



Nikolas apresentou seu TCC e foi só felicidade. Foi tão bom, gratificante e importante fazer parte deste momento da vida dele, que a felicidade não cabe só em mim, então, teve que ser compartilhada! ❤


Mesmo com a tristeza, arrumamos a casa pro Natal. 
Mesmo com a tristeza.
Meu pai criou uma espécie de quiosque em casa. Mas, só estreamos ele uma vez, pois só chove aqui, socorro! Mentira, Deus. Obrigada pela chuva! Mas podia chover lá no Sertão também, né? Ótimo presente de ano novo para meus amigos do sertão! Fé no Pai que a chuva cai! Amém! ❤
Colocamos pisca-pisca, e uma lâmpada, pra ficar melhor pra todo mundo!



No Natal não tivemos clima para nada. Mas, mesmo assim, celebramos a união da família, e o amor de Jesus Cristo em nossa casa.
Afinal, Natal é a união, a família, o nascimento e o amor de Cristo em nossas vidas! 
Este ano, depois de tanto tempo, fui à Cantata de Natal da minha Igreja. Foi uma experiência tão incrível. Incrível pois testemunhei o poder de Deus na minha vida ao longo deste ano. Incrível também pois sou outra pessoa, mais madura e responsável. 
Que alegria é estar unidos!
E foi o primeiro Natal meu com o Nikinho. Precisava ser celebrado!



Recebi minha última cartinha de 2017, da minha nova e querida correspondente Isabella. 
Foi tanto amor nesta carta, tanto carinho, que encheu meus olhos de lágrimas e meu coração de alegria! Como é bom, gratificante e acolhedor estar em sintonia com alguém especial, mesmo que lá do "outro lado" do mapa, não é mesmo? Tudo bem que São Paulo e Minas Gerais não são tão longe quanto SP e Amazonas, mas é gostoso, né? Gostoso se sentir à vontade para conversar sobre coisas  que você nem imagina que poderia falar com uma pessoa que nem imagina que poderia conhecer, né? ❤ 



Finalmente f é r i a s !
Tudo bem que são apenas duas semanas de férias e lá se foi uma, mas ainda assim é férias.
Consegui colocar em ordem o meu Herbário e descartei diversos exemplares. 
Começando o ano em busca de novas flores e folhas! 



Aproveitei esses últimos dias do ano, em que a inspiração fica ali, batendo na nossa porta, para colocar no papel tudo aquilo que estava rascunhado no caderno, e na cabeça também! ❤


Apesar de tudo,  g r a t i d ã o  por Dezembro!



Segredo Sujo © , 2008 ♥ 2018