Ramos

by - 23:12:00


O fim de semana, e honestamente a semana inteira que se passou, foi um momento bem sombrio na minha vida neste ano. 
Quanto mais pedia à Deus paciência, forças para ser seu exemplo, sabedoria para controlar meus pensamentos e minha boca, desviar meus pensamentos da malícia, da luxúria, da soberba, da ira, mais me sentia afundada nestes sentimentos.
Talvez fosse justamente estas as respostas aos pedidos que fiz à Deus: momentos de provação.
Momentos estes que não soube aproveitar. Momentos estes em que não honrei Seu nome, muito menos Sua vontade. Não soube lidar com as provas, com as tentações, com os deslizes da carne. Não soube administrar os meus pensamentos, muito menos minha língua, sendo que eu mesma sei que ela tem o poder de transmitir amor, e também o ódio.

Domingo foi dia de Ramos. 
Eu, evangélica de berço, esqueci o que significava a expressão "Domingo de Ramos". Isto, na verdade, representa a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, onde as pessoas menos avantajadas cortavam os ramos das árvores e jogavam enquanto uma pessoa importante entrava na cidade. 
Mas, estas mesmas pessoas, naquele dia em que Jesus entrava por Jerusalém, aclamavam seu nome, foram as mesmas que escolheram Ele para ser crucificado no lugar de Barrabás. 

Na Pregação do Sermão de Domingo, um irmão disse que nós somos, diariamente, como essas pessoas de Jerusalém. No Domingo, exaltamos Jesus, mas nos outros dias da semana, o crucificamos. 
Sim. O crucificamos.
Crucificamos Jesus com nossas palavras, que ferem, que destroem. Crucificamos Jesus com nossos pensamentos, com a nossa língua, com as nossas atitudes. É uma fofoca aqui, outro comentário maldoso ali, e depois mais isso, aquilo, e cada vez mais, o crucificamos e desonramos o Seu nome.

Aquelas palavras tomaram conta de meus pensamentos.
Voltei para casa em prantos, pensando no que é que eu estava fazendo àquele que é Senhor e Salvador da minha vida. 
Sim. Senhor e Salvador.
Jesus já provou, mesmo sem ter que provar, que está comigo, que é meu amigo. Jesus me mostrou que com Ele as coisas podem ser mais fáceis, pois há fé, há amor, e há esperança.

Faltam alguns dias para a Páscoa, e nessa época começo a ficar um pouco pensativa. 
Começo a pensar sobre o sacrifício feito na Cruz, de livre e espontânea vontade, sem nenhuma obrigação, sem hesitação. Tanto sofrimento, tanta dor, tanto sacrifício, para que eu jogue fora tudo aquilo que Ele fez por mim.

Pensei, pensei, e resolvi tentar mudar.
Ao menos por uma semana.
Ao menos por esses dias.

Comecei hoje, segunda-feira, vinte e seis de março de dois mil e dezoito, uma purificação do meu corpo, da minha alma e do meu coração.
A conversão me fez conhecer Jesus, mas a santificação me fará mais próxima dele.
Hoje, consegui resistir às tentações de falar mal de alguém, bem como os pensamentos impuros, maldosos e traiçoeiros. Consegui controlar minha língua, minhas atitudes, meus desejos.
A noite ainda não terminou, mas sinto que consegui me superar.

Até a Páscoa, tenho um longo caminho a percorrer. 
Provações virão. Pessoas e situações que provocarão minha raiva com toda a certeza, virão em cheio nesta semana, ou não
Mas, como tenho pensado muito nos últimos dias: 

           Mas eu sei em quem tenho crido,
           E estou bem certo que é poderoso,
           Pra guardar o meu tesouro
           Até o fim chegar. (....)

Creio que Jesus me ajudará a estar firme e forte em sua presença, honrando Seu Nome, e sendo seu exemplo.

Quero compartilhar essas fotos do Dia de Ramos, e algumas horas no Parque Ecológico da cidade, contemplando essa natureza perfeita criada por Deus! 


Faça você um sacrifício por Jesus também!


Achei interessante: Barrabás: Quem foi ele?