Eu não quero

by - 22:56:00

Eu não quero alguém que me procure somente de madrugada, quando está sozinho. 
Eu não quero alguém que queira companhia passageira e momentânea.
Eu não quero alguém que se lembre de mim quando ninguém se lembra dele.
Eu não quero alguém que divida somente os momentos ruins, na esperança de ouvir um conselho.
Eu não quero alguém que não queira estar comigo.

Não quero metade. Não quero pouco. Não quero vazio, nem quero morno.


Eu quero por inteiro. Eu quero muito. Eu quero cheio, e quero quente.

Amores vazios são como amores impossíveis: só são legais nos livros e filmes.

Me vi presa a um romance que só existia aqui, na minha cabeça. 
Cansada de roteirizar cenas e criar diálogos que jamais serão encenados, decidi que era hora de mudar de peça: Romeu & Julieta não era mais para mim.
O sonho de uma noite de verão parecia mais um pesadelo. Era amor em forma de labirinto. 
Estava perdida. Não sabia para onde iria. Não encontrava a saída.

Dizem que para sair de um labirinto é preciso refazer os passos ao contrário. Fiquei confusa com essa afirmação, mas dei por mim que para sair desse romance era preciso fazer exatamente o contrário de tudo o que eu fiz até hoje. 
Era necessário me afastar.
Agradeço aos céus por ter facilitado esse caminho para mim, tirando-o do meu campo de visão por longos dias. O que era ansiedade, virou saudade. Mas agora parece que a saudade virou só uma lembrança. E nada mais. 
Aquele vazio continua, mas já está menor. 

Percebi que não quero um amor impossível. Não quero um amor de cinema. 
Não quero um amor de verão ou de inverno.
Eu quero um amor de livro. Eu quero um amor, que seja riso de Janeiro a Janeiro. 

Não quero um amor âncora. Quero um amor brisa. 
Âncora não sai do lugar. 
Brisa toca, e leva. 
Assim como as ondas do mar.

Quero sair de mãos dadas para onde for. Quero me arriscar nas estradas e trilhas da vida, sem me importar com o caminho e sem querer saber qual será o nosso destino. Quero acordar com sol na cara e dormir com a luz da lua iluminando o chão da sala. Quero dormir com o barulho da chuva e acordar com o barulho do mar. Quero dormir com riso e acordar com sorrisos.

Eu não quero um amor de cinema.
Eu não quero um amor de verão.
Eu quero um amor, de Janeiro a Janeiro.
Eu quero um amor para a vida toda.




Por uma vida com mais amores de estações, do que amores de verões.