quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Abrindo as janelas da Casa da Cultura


A gente sempre tem aquela vontade de sair, viajar, conhecer, desbravar mundo afora, né? Conhecer outras culturas, visitar museus europeus, pisar em outros estados e países, mas, e a vontade de conhecer o nosso próprio lugar? Onde ele está? Aliás, ele existe? Ou a gente ainda resiste? 

Uma vez, meu professor Luiz Eduardo Correia Lima, Biólogo e mestre doutor em História do Vale do Paraíba, disse que "(...) a gente é muito mesquinho. Sai daqui, vai lá pra puta que pariu, pra conhecer um cara que sabe se lá o que fez pra gente estar onde está, e negligencia o conhecimento da nossa terra, do nosso povo, do nosso passado (...).".
Isso me fez pensar seriamente na relação que as pessoas têm com o nosso país. Me entristece de um jeito esquisito ver pessoas gastando muito dinheiro viajando para Europa, América do Norte, Ásia, conhecendo a Disney, vendo cangurus e comendo o verdadeiro sushi, mas que não conhecem o Sul de Minas, nem viram o manguezal da Bahia, nem comeram o verdadeiro pão de queijo mineiro.

Por que será que a gente dá mais valor pro que é de fora, ao invés de dar praquele que é "de casa"?

Aproveitei minhas férias de duas curtíssimas semanas entre Dezembro e Janeiro para conhecer um pedacinho da cidade que nunca havia conhecido: a Casa da Cultura.
Lorena é uma cidade cheia de histórias bacanas para contar!

Localizada há 180km da capital São Paulo, Lorena é a Terra das Palmeiras Imperiais. Foi berço de Condes e Barões. Aqui teve café, teve cana-de-açúcar, arroz, e fazenda.
Daqui, dá pra ir pra qualquer lugar. Dá ir pra São Paulo, pro Rio de Janeiro, pra Minas Gerais, e é pertinho de Cunha, Paraty, e vizinha do Santuário Nacional de Aparecida.
Aqui tem Serra, tem rio importante, tem parque ecológico, e Floresta Nacional.

Lorena é cidade pequena, mas acolhedora. É uma cidade simples, mas encantadora. Basta olhar pros lados!

Sabia que aqui, em Lorena, existe o único Santuário Basílica de São Benedito? Pois é! 
Em 1917, o Santuário de São Benedito foi agregado à Basílica de São Pedro, em Roma, distinção que notabilizou a Igreja como o único Santuário Basílica de São Benedito do mundo todo!
É a única Basílica de São Benedito, no Hemisfério Sul do planeta, que ostenta o símbolo do Vaticano.
Dá pra acreditar? Não??? Então olha nesse LINK AQUI e descubra mais!

Em uma visita monitorada e exclusiva com o mentor, Eduardo Ballerini, a Casa da Cultura foi totalmente explorada por mim e pela minha irmã. Só nós duas estávamos ali no dia, e, quando se tem um amigo, as coisas ficam mais fáceis, né?
Eduardo foi completamente atencioso, e nos mostrou todos os detalhes desse casarão que abrigou uma das famílias mais importantes da cidade: a família do Conde de Moreira Lima.

As fotos falam por si.
E eu deixo tudo aqui, em detalhes!

O começo...
Essa é a visão da entrada da Casa da Cultura. 
As cores originais não são essas as da foto. Tudo foi pintado, sabe-se lá porquê, ou por quem.
Agora, o CONDEPHAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico de São Paulo) irá viabilizar, juntamente com a Prefeitura, o restauro da Casa, voltando com suas cores originais, suas janelas, pisos e banheiros.
De qualquer forma, é tudo muito bonito, e de mármore. 










Detalhe da maçaneta da porta principal.


Internamente...
A Casa da Cultura é realmente um lugar gigantesco e encantador. Eu me perderia fácil lá se estivesse sozinha. É uma porta que se abre e dá pra um ambiente, que tem outra porta, que dá pra outro lugar, que também tem uma outra porta, que, quem sabe, te leva lá pro começo de tudo...

Por lá, são muitos quadros espalhados pelas paredes contando um pouquinho da Lorena antiga. A linha do trem, a Figueira da Cabelinha, a antiga cadeia, a Praça do Rosário, a Santa Casa... 
São tantos detalhes, que fica até difícil registrar tudo!






Uma das coisas que mais me encantou foram as janelas
As janelas foram estrategicamente construídas de modo que a vista delas fossem para a Catedral Nossa Senhora da Piedade (Igreja Matriz), e para a Serra da Mantiqueira.
O cenário visto lá de cima é encantador. 
Hoje é um pouco poluído, porque, né, as pessoas só pensam em construir prédios e mais prédios, e com isso a visão clara e perfeita da Serra foi prejudicada.
Mas, não deixa de ser linda! 





Olha a Serra ao fundo!

São poucos objetos da época do Conde que estão guardados e são de posse da Casa da Cultura. 
Houve uma época em que a Prefeitura abandonou completamente a parte cultural da cidade, como a Casa da Cultura, a Biblioteca, as Igrejas antigas, o Cemitério, que alguns "caçadores de relíquias" vieram até a cidade e saquearam importantes documentos da época do Café e do Ouro, objetos de mármore e bronze, imagens sacras e outras relíquias. Roubaram até o registro de quem passou por aqui, no caminho da Estrada Real.
Uma pena, mas tudo o que sobrou agora está empilhado ou espalhado pela Casa da Cultura, esperando a boa vontade do governo restauração e repatriação de tudo aquilo que foi roubado e recuperado.

Pia de pedra vulcânica.

Isso é um piano. Dá pra acreditar?



Algumas das imagens sacras que foram recuperadas, e outras que escaparam do furto!




Mais detalhes do confessionário e oratório.





Detalhes preciosos: Xícara, pires, prato de refeição, talheres, panela de barro, ferro, relógio, canecas, balança, tijolos. 
Tudo o que aos poucos foi recuperado, e agora aguardam um lugar correto para ficar. 
Pertences adquiridos pela família do Conde, e também outros doados à Casa da Cultura por figuras importantes da cidade de Lorena.






 Figuras importantes da cidade.
Adendo: Dr. Eugênio Borges (terceira foto) parece o Ciro Gomes!

Busto do Barão da Bocaina.

Busto de Gama Rodrigues, o primeiro cirurgião da cidade.

  

 Brasão da família Azevedo.

  
Detalhe da placa indicativa do banheiro. 

O primeiro telefone público da cidade.









Antigas máquinas fotográficas e máquinas de escrever.

Antigo rádio.

Antigo piano. 


Cofre. 



Mesa de reuniões, e também de banquetes.

Antigo "sofá", que pertencia à Condessa.

Detalhe da sala da Casa. Hoje, utilizada para aulas de canto e piano.






Armários antigos e outro piano. E olha o estado!



Detalhe da escada principal. Elo entre o primeiro e segundo andar.




Detalhe da porta.







Externamente... 
A Casa da Cultura, antigo Solar Conde Moreira Lima, é incrivelmente arejado, apesar dos pesares e o desgaste do tempo. São muitas janelas, muitos vidros e muitas portas.
A parte externa da Casa é muito bonita. 







Neste ambiente, os convidados podiam ficar livres dançar, conversar e ter seus momentos de intimidade.


Olha só quem apareceu! :)



Visão do quintal - 2 andar.










Detalhes das janelas. Visão externa.






Nesta foto: um pé de café da época do Conde, e uma Palmeira.





Detalhes do quintal. Área externa pouco preservada, e cada vez mais sendo destruída por causa dos vizinhos, que insistem em construir churrasqueiras e piscinas por ali, o que, dentro da Lei, não é permitido, pois com o tempo, deterioram as paredes do patrimônio histórico.

Detalhes do piso.


E do lado de fora...
É assim a Casa da Cultura do lado de fora.
Claro que a foto poderia ter ficado infinitamente melhor, mas valeu a intenção de registrar!





Registro do registro.
Um caso de amor com o Solar do Conde!

Me entristece o coração saber que um lugar tão antigo e rico de histórias da cidade está assim, abandonado, implorando pela restauração, e esquecido pela população.
Uma pena, de cortar o coração, saber que tem tanta gente que não dá valor pra cidade onde mora, não dá atenção pros detalhes que o cercam, nem para as belezas que estão escondidas entre os grandes prédios e comércio.
Uma porta antiga é simplesmente ignorada, enquanto um prédio moderno, todo de vidro, é adorado pelos moradores.
Até quando iremos ignorar e desprezar a nossa terra, as nossas raízes?

Visite o que há de antigo na sua cidade!
Conheça a cultura local.
Conheça as pessoas importantes daí!
Ame sua origem. Ame sua terra.
Amar a nossa terra é o primeiro grande passo para poder amar outras terras.

Pense com carinho!
E visite Lorena!


3 comentários:

  1. MULHER DO CÉU, tás vendo aquela parede cheia de quadros, o segundo da fileira mais alta? eu trabalho no museu DELE em São Paulo! O Barão da Bocaina é simplesmente seu irmão, e a Basílica de São Benedito, assim como muitas ruas, lugares e a igreja matriz de Lorena, têm por trás a família Azevedo. Já mandei até para a minha chefe o teu link, quem sabe não fazemos uma visita ao lugar para enriquecer ainda mais as histórias do nosso museu? E estás convidada a conhecer o Museu Vicente de Azevedo, no Ipiranga.

    ResponderExcluir
  2. Jeyse, adorei o seu post e ele me lembrou do comentário de um professor que tive na universidade, aonde ele dizia que os alunos não tinham o sentimento de pertencimento com a cidade (estudei na Universidade Federal de Ouro Preto) e que os TCCs nunca eram da região. Depois da fala dele eu, que sou de SP e mudei pra Ouro Preto pra estudar, decidi fazer o TCC sobre os ciganos que moravam na região e mostrar uma dessas culturas locais. Também acho que devemos valorizar a cidade que moramos e os encantamentos que ela oferece.

    Beijos
    gabepinheiro.com.br

    ResponderExcluir
  3. Muito bom seu trabalho, obrigada por compartilhar!

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita!
Ative o "Notifique-me" para receber notificação do seu comentário, pois eu sempre respondo. O feedback é adorável! <3

Segredo Sujo © 2008 ♥ 2019