terça-feira, 27 de outubro de 2020

Tão perto


Um corpo.
Um rosto.
Uma voz.
Eu nem precisei olhar para saber que era você.
Afinal, eu te reconheceria até no meio de uma multidão.

Há tempos não estivemos tão próximos quanto hoje. Nossa distância não dava nem um metro.
Distanciamento social quebrado graças a um placa de acrílico. 
Tão perto. Mas tão longe.
Isso nunca foi tão verdadeiro, tão real, tão sério quanto agora.

Eu não precisei olhar para você pra saber que você estava olhando pra mim.
SACO. EU DEVERIA TER TE OLHADO!
Mas se eu olhasse, tudo ruiria. Eu toda cairia. Não resistiria. 

Me mantive fixa olhando pra um cliente enquanto sentia seus olhos sobre mim.
Tentava me concentrar na conversa, e tentava, de um jeito totalmente estúpido, prolongar a conversa para não ter que olhar pra você.

Me mantive séria. Mas era apenas por fora.
Por dentro eu sentia um frio percorrendo por todo meu corpo, como um corredor longo e vazio, onde o vento passa gelado por ele. Senti um buraco. Senti minhas pernas moles, meus braços tremendo e meu coração acelerado.
Eu estava desconcentrada.

E é assim mesmo que você me deixa.
Desconcentrada. Fora de órbita. Apaixonada.

Quando decidi olhar pra você, você tirou os olhos de mim, e pude ver de relance a tatuagem escondida por debaixo da camisa no seu braço esquerdo.
Que delícia seria ver ela sem nada para cobrir.
Que delícia seria olhar nos seus olhos, te encarar em silêncio, e te beijar.
Que delícia seria abraçar você e dizer que eu estava com saudade.

SACO.
Saco e saco umas mil vezes!
Por que a gente só se encontra onde não dá pra se falar? Por que a gente tem que fingir que nada aconteceu entre a gente? Por que você não me manda um sinal de vida de outra forma?
Aliás, por que você faz isso comigo?

Consegui olhar seus olhos apenas quando você estava indo embora, dirigindo um carro, e me olhando como olhava antes. 
Seus olhos. Seus lindos olhos. Como eu queria que eles cruzassem com os meus todos os dias.

SACO.
Será que você sabe que eu ainda te quero?

Como eu queria você aqui.
Eu.
Você.
Nós.

Queria que você fosse meu, e não delx.

Segredo Sujo © 2008 ♥ 2020