quinta-feira, 22 de outubro de 2020

Deletado


Daqui há seis dias completaria seis meses desde a última mensagem que te mandei.
Mais uma das mensagens grandes, com resposta vazia, ou nenhuma.
Mas ontem foi seu aniversário, e diferente dos outros anos, achei que mandar uma mensagem antes de receber a sua me desejando feliz aniversário, seria uma ótima ideia.
Mas... não foi.

Eu já deveria saber da sua resposta.
Mas, é difícil. Eu gosto de insistir em algo, mesmo sabendo que pode não dar em nada.
Mas, achei que dessa vez poderia ser diferente. Talvez você estivesse empolgado com seu aniversário, e se sentiria bem o suficiente para me responder, ou para, milagrosamente, me escrever como escrevia antes.  
Mas, não.

Mais uma vez mandei uma mensagem grande.
Uma mensagem sincera, de coração, honesta, com saudade e com desejos de felicidade.
E você me respondeu com "Obrigado!", ou algo assim. Sei lá. Já nem lembro mais o que você escreveu naquela merda de mensagem fria e vazia, a qual você é um puta especialista em digitar.

Não sei o que aconteceu nesse tempo. Não sei o que aconteceu no meio do caminho. Não sei como tudo se rompeu. 
Apenas sei que nossa relação era como uma corda, e que cada um segurava uma ponta. Mas, caramba, como eu não pude perceber que você havia soltado a ponta do seu lado há tempos? Como eu não pude perceber que quem segurava a corda era apenas eu, enquanto você a tinha amarrado numa árvore, e abandonado tudo, igual quando abandonamos um livro num banco de uma praça, na intenção de que ele possa encontrar novos ares, e seguir em frente.
Acontece que eu não estava tão preparada assim para me soltar e seguir em frente.

Sempre acredito que tudo na vida é ciclo
Meu ciclo com você começou lá em 2011, nos corredores da escola de inglês quando eu encontrava com você. Esse ciclo se estendeu pra uma noite em que dançamos, e outra em que nos encontramos e saímos, e na tarde em que nos beijamos, e se encerrou quando você foi embora em 2013, e eu não consegui me encontrar com você para me despedir, ou para pedir pra você não ir embora.
Mas eu não enxerguei. Não consegui enxergar além das mensagens via SMS que a gente trocava, nem através dos e-mails, ou das conversas via Skype, e dos textos que escrevia e mostrava para você, e nem pelo WhatsApp, onde a gente criou um vínculo maior, mas que não deu em porra nenhuma, mas eu achei que poderia dar.

Mas hoje foi.
Mandei a mensagem com receio da resposta que receberia - e recebi exatamente a resposta que achei que você daria.
E então, foi a gota d'água. Foi o copo transbordado. Foi o descaso.
Foi o choro engolido. 
Foi o fechamento do ciclo.
Foi o fim entre eu e você e qualquer coisa que poderia render disso: uma amizade, ou qualquer outra merda que minha cabeça tenha imaginado.

E o primeiro passo eu dei: deletar nossas conversas, e excluir de vez o seu contato da minha agenda.
Agora, só falta colocar na minha cabeça que não tem mais volta.
Segredo Sujo © 2008 ♥ 2020